GIULIA BE
GIULIA BE

GIULIA BE

Sobre GIULIA BE

Tudo é intenso para a artista que ouviu do Maroon 5, no camarim do Rock in Rio 2017, que deveria ser cantora profissional e que, dois anos depois, estava no palco daquele mesmo festival. Desta vez, com o microfone nas mãos.
O fenômeno Giulia Be (nascida Giulia Bourguignon Marinho, no Rio de Janeiro, em 1999) sequer tinha 20 anos quando emplacou “Too Bad” (2019), composição própria e em inglês, na novela O Sétimo Guardião, da TV Globo, e despertou a curiosidade do público. Dona de um pop moderno que desconhece barreiras, ela flutua por ritmos eletrônicos, rap e violões, como mostrou no cartão-de-visitas “Menina Solta”, faixa do EP Solta (2020) e responsável por apresentar uma artista que definitivamente sabe o que quer. A inquietude artística leva a voz grave de Giulia Be por versos tortuosos sobre paixões frustradas (a balada “(não) era amor”), términos empoderados (a eletrônica “Chega”) e pop romântico internacional - na participação em “17”, do cantor de soul Pink Sweat$.
E a intensidade da cantora transforma o mundo ao seu redor em inspiração e versos, como quando compôs o hit “inolvidable” depois de receber uma mensagem de um ex-namorado antigo dizendo que não havia a esquecido. Daquele áudio, Giulia Be fez uma versão da música em espanhol e, depois, em português, com participação de Luan Santana. Como Giulia brincou ao falar da composição para o Apple Music: “Uau, devo ser mesmo inesquecível”.

Artistas semelhantes