Notas dos editores Feliz da vida aos 60 anos, Zeca Pagodinho não lançava um álbum inédito há quatro anos. Intitulado Mais Feliz, o novo trabalho conta com 14 faixas e é dedicado ao amigo e parceiro de samba Arlindo Cruz, que se recupera de um acidente vascular cerebral desde o início de 2017.
 
“É o primeiro ano que ele não está presente ali comigo, nem tocando. Compondo ele está porque nós descobrimos um samba que tinha feito junto com ele, samba com ele e Marcelinho Moreira. Mas assim, sempre tive ele comigo, a gente é parceiro de muitos anos, ele é padrinho do meu filho”, revela Zeca Pagodinho.

Durante o tempo parado, o sambista contou que acumulou repertório para gravar mais de um álbum e que o processo de gravação de Mais Feliz seguiu uma tradição: muita festa em seu sítio em Xerém, na Baixada Fluminense. “É bem legal, a gente encontra todo mundo, bebe bastante, canta, ri, lembra de história. E sempre tem uma festa no estúdio, que é uma feijoada, no dia que a velha guarda da Portela coloca a voz”, conta.

Confira o faixa a faixa do novo álbum de Zeca Pagodinho:

1. Mais Feliz (Toninho Geraes e Paulinho Rezende)

“‘Mais Feliz’ é uma música de Toninho Geraes e Paulinho Rezende, dois craques. Eles já tinham mostrado esta música pra mim há algum tempo e eu falei pra que eles não mexerem nela, porque esta música era pra mim. Ih, rapaz, tem mais de um ano. E com arranjo de Rildo Hora, como tantas faixas aí, a música ficou muito bonita, tem muita gente boa tocando nela, como é o álbum todo. Escolhi para ser a faixa-título do álbum porque agora fiz 60 anos e estou mais feliz.”


2. Não Vou Magoar Meu Amor (Dunga de Vila Isabel e Gabrielzinho do Irajá)

“Esta é Dunga e Gabrielzinho do Irajá. Gabrielzinho eu vi nascer, Dunga é meu compadre de muitos anos, começamos juntos na RGE. A música é muito boa, tem um assunto muito legal e me lembra muito samba de quadra, por isso pedi que botassem apito, batucada, aquele samba de terreiro que tinha nas escolas antigamente.”


3. Sexta-feira (Roberto Lopes, Marquinhos FM, Levy Vianna e Alamir Kintal)

“Porra, cara. Essa música é a vida do trabalhador, né? Aqueles caras que já vão sexta-feira com o pandeiro debaixo do braço pra sair e ficar tocando nos botequins da cidade, ou ir a um outro lugar, no subúrbio. Sexta-feira é Alamir [Kintal], Roberto Lopes, e [Levy] Vianna, o Coronel Cachimbudo. É muito legal esta música, me lembra os tempos em que eu era trabalhador, agora dizem que não sou mais, né? [risos]. Mas quando pegava ônibus, levava meu pandeirinho na sexta-feira pra cidade, já saía e ficava ali naqueles botequins da Lapa. Me faz lembrar dessas coisas.”


4. O Sol Nascerá (A Sorrir) part. Teresa Cristina (Cartola e Elton Medeiros)

“Esta música já gravei num álbum [‘Zeca Pagodinho Multishow Ao Vivo: 30 anos, Vida que Segue’, de 2013]. Foi bom porque a gente também está homenageando Elton Medeiros, Cartola. O Elton se foi agora, não tem nem um mês ainda. E já gravei esta música, quando eu a descobri, eu era rapazinho, tem nada difícil aí. Regravá-la foi uma escolha do pessoal da novela. A Teresa Cristina é uma queridona, voz boa, boa pessoa. E ainda abriu a novela, né? Nós estamos no ‘Bom Sucesso’ [novela da Globo]. Já me falaram isso hoje em Xerém, que a novela está boa porque está com a minha voz. [risos]”


5. Permanência (Nelson Rufino)

“Rapaz, esta é ‘Permanência’ de Nelson Rufino, que sempre tem cadeira cativa nos meus álbuns. Ele já tinha me mostrado esta música há uns três anos atrás, tenho boa memória pra música. Falei pra ele, ‘cara, guarda essa música aí, não dá pra ninguém não’. E chegou a hora, né? Ele nem lembrava mais qual era. Falei pra ele, ‘rapaz, não lembra não que tu cantou isso pra mim?’. Aí ele cantou mais uma outras duas, e falei, ‘não é essa’. Só depois que ele lembrou.”


6. O Carro do Ovo (Marcos Diniz e Rosania Alves)

“Ah, Marquinhos Diniz com a esposa dele [Rosania Alves], bem bacana esta música. Marquinhos que era do Trio Calafrio, que era barbeirinho dos grandes, os dois morreram. Aliás, este ano morreu muito sambista, né? Pô, só do Quintal do Pagodinho tem seis. A história de ‘O Carro do Ovo’ é que no subúrbio isso virou uma febre, em Xerém passa o tempo inteiro o carro do ovo e eu não tinha me ligado. Quando ele cantou eu pensei, ‘rapaz…’. Pessoal do carro do ovo que vai adorar, né?. Subúrbio todo tem carro do ovo.”


7. Na Cara da Sociedade (Serginho Meriti e Claudemir)

“Ah, rapaz, esta música é Serginho Meriti e Claudemir. Serginho é o autor de ‘Deixa a Vida Me Levar’ e outros sucessos comigo. O Claudemir é autor de ‘Ogum’, ‘Ser Humano’. Eu estava em Curitiba, e com essa violência toda aqui no Rio, liguei pro Serginho e disse: ‘Serginho, faz uma música pedindo paz no Rio, no Brasil, no mundo’. Meia hora depois ele me mandou dez músicas, eu disse, ‘calma, rapaz, é uma só’. [risos] Ele faz ‘brotar’ muito. A música tem tudo a ver com isso, tanto que no início peço muita paz no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, que tá muito brabo. Ela passa uma mensagem boa.”


8. Enquanto Deus Me Proteja (Zeca Pagodinho e Moacyr Luz)

“Ih, rapaz, minha primeira parceria com o Moacyr Luz, e ainda nasceu no dia do compositor, ele ficou muito feliz. A gente tinha que fazer uma música, ele vivia me cobrando. Aí a gente vai ouvindo, e eu gosto muito do romântico, gosto de escrever coisas românticas. Escrevi a letra pra Moacyr e pedi à minha filha que mandasse pra ele colocar essas coisas de telefone que eu não sei fazer, e no outro dia ele me falou, ‘acho que terminei’. Eu estava na editora — pra você ver como as coisas vão se encaixando — e pedi pra ele mandar pro computador aqui da editora e quando ouvi, eu disse, ‘caramba, que música linda’. Foi assim que ela entrou no álbum, o Moacyr está muito feliz e eu também. Foi minha primeira parceria com ele, bem no Dia Internacional do Compositor.”


9. Quem Casa Quer Casa (Rafael Delgado e Ronaldo Barcellos da Silva)

“Do caramba também, é um menino novo. Aliás, é a primeira vez que eu gravo com ele, com Rafael Delgado. Com ele e o parceiro dele, Ronaldo Barcellos da Silva. Ele é morador de Del Castilho [subúrbio do Rio de Janeiro], onde fui criado e, por incrível que pareça, todos os lugares que eles mencionam na música foram lugares por onde eu andei. Não falei nada pra eles, e eles adivinharam. Cabuçu, Marechal, todos lugares por onde andei, a música encaixou direitinho, meu número.”


10. Dependente do Amor (Xande de Pilares, Gilson Bernini e Brasil do Quintal) part. Xande de Pilares

“Xande é um garoto criado lá em Inhaúma, lá perto do meu sogro. Meu sogro já falava dele, ‘você tem que conhecer um moleque que tem aqui’. Depois que conheci Xande ficamos amigos, ele tem um timbre de voz muito bom, toca muito bem e é bom garoto. Acho que já é a segunda vez que a gente faz participação. Esta música é dele, Brasil [do Quintal] e Gilson Bernini, que são meus compadres também de muito tempo. Esta música dá um pé legal, é muito bacana.”


11. Um É Ruim, O Outro É Pior (César Procópio, Fernando Procópio e Serginho Procópio)

“Serginho Procópio e um sobrinho dele, e acho que tem mais um. Fala de Recife, que é a terra do maestro Rildo Hora. De Cabrobó, aquelas coisas todas. E achei que seria legal mandar uma mensagem pro Nordeste. Eu tô com a Bahia, fui até Recife, pra quebrar um galho. Homenagem pro Nordeste e pro maestro Rildo Hora, que eu falo no comecinho da música.”


12. Peregrinação (Mauro Diniz e Monarco)

“Isto é Monarco e Mauro Diz. Mauro é meu compadre e Monarco… Os dois são pai e filho, né? O Mauro é meu compadre, sou padrinho da filha dele, e sou padrinho de casamento do Monarco, então… E Monarco sempre tem lugar em álbum meu, e sempre terá! Ouvi esta música numa fita cassete. Minha filha me deu um gravador de fita cassete, tinha uma caixa de fita, e achei esta música. É bem Velha Guarda da Portela, que sempre participa comigo no coro.”


13. Nuvens Brancas de Paz (Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Marcelinho Moreira)

“Esta música acho que foi a última que fiz com o Arlindo [Cruz], e Marcelinho [Moreira] também estava lá, no caso está, junto com a gente na parceria. Nem me lembrava mais, Marcelinho que lembrou, ‘rapaz, esqueceu a nossa música’. Falei, ‘ih, rapaz, é tanta coisa na minha cabeça’. É um partido alto, um fala um verso e o outro responde, é por aí. Ainda não mostrei pro Arlindo, não consigo vê-lo assim não. Estou esperando ele melhorar, e ele vai melhorar. Pra mim é muito difícil.”


14. Apelo (Vinícius de Moraes e Baden Powell) part. Hamilton de Holanda e Yamandú Costa

“Esta foi uma sugestão do Rildo também. Eu sugeri também que a gente gravasse uma coisa eu, Hamilton e Yamandú, repetindo aquela que foi com Marisa Monte [‘Preciso Me Encontrar’, faixa do álbum ‘Zeca Pagodinho Multishow Ao Vivo: 30 anos, Vida que Segue’, de 2013]. Só que essa agora somos apenas eu e eles dois. Eles fazem um solo no meio que é muito bacana, são dois monstros. E eu ali no meio, fazendo aquela jogada, acho que ficou bem legal também.”

1
3:31
 
2
2:58
 
3
4:11
 
4
2:37
 
5
4:30
 
6
3:15
 
7
3:03
 
8
2:43
 
9
2:45
 
10
3:44
 
11
3:32
 
12
3:22
 
13
4:47
 
3:54
 

Mais de Zeca Pagodinho

Com participação em